Crise, desemprego e educação

Crise, desemprego e educação
Leonardo Estevam | 11/02/2021

Desemprego X Oportunidades

Vamos começar com um dado curioso: O Brasil é o terceiro país em desemprego. Enquanto isso, 63% das empresas do país relatam dificuldade em contratar.

Não é estranho?

A educação é o primeiro passo para mudarmos a vida das pessoas e, consequentemente, a economia.

O funcionário ideal

Ter conhecimento é muito importante. Mas é preciso mais. É preciso ser pró-ativo e ter espírito de equipe. O que as empresas procuram são Intraempreendedores, ou seja, funcionários com mentalidade de dono.

Essas capacidades podem e devem ser desenvolvidas durante a educação.

Especialista ou generalista, qual deles o mercado procura?

Na corrida pelos melhores empregos, nenhum dos dois profissionais está na frente. O produtivo é o mais desejado. Aquele que entrega resultados dentro do prazo e tem vasto conhecimento em diversas áreas.

Por isso é tão importante exploramos a integração do conhecimento. Só assim o aprendizado vai estar alinhado com a demanda do mercado.

Vale a pena investir em educação durante uma crise?

Simples: Quem não investir, vai ver a sua crise aumentar. A realidade é que a crise não atinge todo mundo. Quem tem conhecimento, não só supera como ainda ganha.

Um dado interessante nos mostra a importância de um bom currículo. Quem tem ensino superior ganha em média 42% mais dos que não têm. E quem tem pós-graduação ganha em média 107% a mais dos que não têm.

Aconteça o que acontecer, nunca pare de adquirir conhecimento.

A Liga é colaborativa e queremos ouvir a sua opinião sobre a educação no Brasil

Escrito por Leonardo Estevam, Diretor de Mercado da Liga Educacional.

voltar